14045379_1138260736230924_91112921_o14060519_1138267222896942_656102883_o 14060338_1138269139563417_1417569631_o 14045306_1138267429563588_228552969_o 14059984_1138267646230233_1820798223_o 14074954_1138263439563987_1886572286_o 14060169_1138259256231072_1168638306_o 14087468_1138263982897266_770933265_o14087300_1138271472896517_463676774_o 14045476_1138269196230078_2106804420_o 14113834_1138262742897390_1072107327_o 14074478_1138270886229909_155632933_o 14045196_1138269029563428_934297102_o14113929_1138271782896486_474903266_o14087168_1138266842896980_7149321_o 14114665_1138271976229800_1569947148_o14114018_1138268072896857_1231449382_o

Dizem que as boas surpresas vêm de onde menos se espera. Nice foi a prova disso. A senhora que me conquistou sem grandes esforços. Apresentou-se firme e calorosa, de encostas vestidas de incontáveis moradias, de um brilho quente mas acolhedor, numa simpatia que convida a gozar da sua companhia pelo maior período de tempo possível. Uma cidade que beija o mediterraneo numa leveza que faz lembrar os amores de verão, românticos ao por do sol, prendendo qualquer um à areia de seixos que ficam para admirar esta história de amor. Como bem hospitaleira, acolhe velhos e jovens, ricos e não tão ricos numa vasta panóplia de lojas, peixe e frutos de mar frescos, bons restaurantes, belas esplanadas e arquitectura gloriosa.

Com esta altivez de mestre da elegância e opulência do velho mundo, aliada o facto de haver sol o ano inteiro e ter uma localização costeira invejável, Nice pode ser considerar a capital não oficial da Côte d’Azur. Para quem quer viver o real espírito da Riviera deve alojar-se aqui e explorar as outras cidades próximas (ver próximos posts).

Onde comer: Há imensos restaurantes na Rue Massena, na Rue Bonaparte e na Old Town, difícil vai ser escolher.

Obrigatório: Ver o por do sol na Promenade des Anglais.

Evitar: Fazer praia em Nice. A praia não tem areia – tem seixos, e está concessionada quase na totalidade da sua extensão. Não saias tarde para jantar. Fica impossível estacionar o carro perto dos restaurantes por isso a melhor hipótese será deixar o carro no hotel e caminhar. Mais um bom pretexto para admirar a beleza da cidade.


They say that good surprises come from where you least expect. Nice was the proof of that. The lady who got me without much effort. She introduced herself firm and warm, dressed of countless houses, with a hot but warm glow, with such a sympathy that invites you to enjoy her company for the longest time possible. The city kisses the mediterraneo like a love story that turns even more romantic at sunsetting. She welcomes old and young, rich and not so rich in a wide range of shops, fish and fresh seafood, good restaurants, beautiful terraces and a glorious architecture.

For all that reasons, Nice can be considered the Cote d’Azurs’s official capital. For those who want to live the real spirit of the Riviera should stay here and explore other nearby cities (see next posts).

Where to eat: There are many restaurants on Rue Massena, on Rue Bonaparte and the Old Town, it will be difficult to choose.

Required: Watch the sunset on the Promenade des Anglais.

Avoid: The beach in Nice. The beach has no sand – has pebbles and is concessioned almost all of its extension. Go late dinner. It is impossible to park the car near the restaurants area. So the best is to leave the car at the hotel and walk. Another good excuse to admire the beauty of the city.

Author Sara

More posts by Sara

Leave a Reply